28/10/17

O que já não estava bom, ficará pior. O mês de Outubro já contou com as bandeiras vermelhas valendo nas tarifas de luz, deixando as contas mais caras até o resto do ano. Agora, mais aumentos virão, porque o custo aplicado sobre a bandeira vermelha ficará maior e passará a valer já a partir de novembro.

 

Se você não lembra como funciona o sistema de bandeiras tarifárias, vamos te lembrar. Basicamente, quando é mais caro para as empresas atender a demanda de energia da população, as bandeiras tarifárias são acionadas e o consumidor acaba tendo o valor de sua conta de luz aumentado. Infelizmente, quem não possui sistemas de micro-geração, como os de energia solar, sofre fortemente com esses aumentos, principalmente os que mais consomem.

 

Quais foram as alterações

 

tabela-bandeira-site

 

Na imagem acima, você pode ver como eram os respectivos valores adicionais de cada bandeira: verde, amarela e vermelha. A partir de novembro, a única coisa que permanece é a isenção de cobrança adicional no caso de bandeira verde. A bandeira amarela terá seu custo adicional diminuído, e a vermelha irá aumentar significativamente.

 

Ao invés de pagar R$2 a cada 100 kWh consumido no caso bandeira amarela, o consumidor agora pagará R$1. A diminuição de 50% é uma boa notícia, mas não é o caso das alterações envolvendo a bandeira vermelha: o patamar 2, que é o aplicado atualmente, passou de R$3,50 de adição para R$5,00, um aumento de 43%.

 

E a expectativa é que o fim de 2017 tenha contas de luz realmente mais caras. Isso porque, além de ser aplicada em outubro, é esperado que a bandeira vermelha de patamar 2 também seja utilizada em novembro, já em seu novo valor. Tiago Correia, diretor da Agência Nacional e Energia Elétrica, diz que o aumento é necessário para dar estabilidade “à situação financeira das distribuidoras”.

 

bandeira-vermelha-ponto-solar

Aumento da bandeira vermelha deve pesar no bolso do consumidor já a partir de novembro. Foto: Tudorondonia.

 

O que resta ao consumidor é esperar que o começo de 2018 seja um pouco mais generoso com as faturas de luz. No entanto, já vimos aqui que os reservatórios das hidrelétricas brasileiros se encontram em níveis extremamente críticos. Para mudar essa situação, será necessário muita sorte e, claro, muita chuva.

 

Como escapar dos aumentos

 

Já faz tempo que os constantes aumentos na fatura de luz têm feito com que os brasileiros buscassem autonomia na geração de energia para poder economizar, tanto nas residências quanto nas empresas. A energia solar tem tido forte adesão nesse sentido.

 

Produzindo sua própria energia através da luz do Sol, o consumidor não precisa mais depender tanto do que é produzido nas hidrelétricas, e, portanto, pode ficar longe dos aumentos nas tarifas. Apenas quando consumir mais do que produziu em seus painéis durante o período é que ele ficará dependente da energia das concessionárias.

 

bandeira-vermelha-ponto-solar-2

Consumidor garante mais autonomia sobre a energia que utiliza quando adota a energia solar.

 

Os especialistas – inclusive os nossos da Ponto Solar – afirmam que a economia pode chegar ao equivalente de 95% da conta de luz. Nada mal, não é?

 

 Ficou interessado em economizar através da energia solar? Converse com nossos profissionais, solicite um orçamento para seu imóvel e conheça todos os benefícios de poder gerar sua própria energia!

 

Com informações de Folha.